ūüá¨ūüáß TRADU√á√ÉO: Harry Styles entrevista o ator Timoth√©e Chalamet para revista i-D

Novembro não poderia ter começado melhor!

No √ļltimo dia 01/11, foi disponibilizada uma entrevista concedida pelo ator Timoth√©e Chalamet para o nosso Harry Styles, em nome da revista i-D.

Nossa equipe traduziu a entrevista completa pra vocês. Confira:

 

timoth√©e chalamet c0nversa com HARRY STYLES: O ATOR MAIS ATRAENTE DO PLANETA ENTREVISTADO PELA ESTRELA DA M√öSICA POP MAIS CARISM√ĀTICA

Timoth√©e Chalamet √© o indicado ao Oscar que roubou o cora√ß√£o das jovens e que est√° redefinindo o que significa ser um gal√£ em 2018. Harry Styles √© um m√ļsico ganhador do pr√™mio “disco de platina”, pedindo ao mundo que ‚Äútrate as pessoas com bondade‚ÄĚ. Para marcar a estreia do filme de Timoth√©e Chalamet, ‚ÄėBeautiful Boy‚Äô (Querido Menino), eles discutiram sobre a fama, as m√≠dias sociais e a masculinidade moderna.

Quando Timoth√©e Chalament entrou em nossas telas em ‚ÄėCall Me By Your Name‚Äô (Me Chame Pelo Seu Nome) em 2017, o mundo se apaixonou rapidamente e fortemente com seu rosto delicado e seu cabelo. Al√©m de sua beleza, foi a habilidade e poder do Timoth√©e no papel do tril√≠ngue e precoce Elio que foi o mais revelador. Foi o papel que merecidamente lhe rendeu a indica√ß√£o ao Oscar, sendo o mais novo “Melhor Ator” em 80 anos, e sua trajet√≥ria vem crescendo cada vez mais.

Timoth√©e apareceu no filme dirigido por Greta Gerwig, indicado ao Oscar, Ladybird (A Hora de Voar), onde ele deu vida a um adolescente descolado de ensino m√©dio com uma profundidade emocional, mas √© seu atual papel no filme ‚ÄėBeautiful Boy‚Äô, dirigido por Felix van Groeningen, que tem levado seu estrelato a outro n√≠vel.

Em ‚ÄúBeautiful Boy‚ÄĚ, Timoth√©e faz o papel de um bom adolescente que cai no v√≠cio de metanfetamina cristalizada para o horror do seu pai jornalista, David,¬† interpretado por Steve Carell. De fora, Nic tem uma vida invej√°vel. Vivendo na ba√≠a de S√£o Francisco, no bonito e regado pelo surfe norte da Calif√≥rnia, um futuro brilhante o espera. Isso at√© seu interesse em drogas tomar um lado obscuro e fazer com que ele abandone sua casa, caindo no v√≠cio. Baseado nas mem√≥rias de pai e filho, de David e Nic Sheff, a perspectiva dupla √© o que d√° a ‚ÄúBeautiful Boy‚ÄĚ seu impacto devastador.

Timoth√©e entrega uma performance impressionante como um Nic desesperado, machucado, enquanto seu pai tem problemas para entender o que deu errado.¬† O ciclo de recupera√ß√£o,¬† relapso e reca√≠da, torna o filme intenso, mas diferente de outros filmes com a tem√°tica sobre drogas, ‚ÄúBeautiful Boy‚ÄĚ n√£o oferece respostas moralistas. Ao inv√©s disso, insiste na poderosa rela√ß√£o entre pai e filho e o v√≠cio nas drogas, que abala os seus mundos.

Timoth√©e captura Nic em todas suas complexidades: desde encontrar seu pai em um caf√© em S√£o Francisco, claramente atormentado, apenas para lhe dar roubar dinheiro impiedosamente, ficar s√≥brio e voltar para casa novamente, vestindo o comportamento quebrado de algu√©m que sabe que a recupera√ß√£o n√£o vai durar. Emocionante e dif√≠cil de assistir, o filme tem merecidamente a repercuss√£o de um ganhador de Oscar. Em um mundo p√≥s #MeToo, Timoth√©e¬† Chamalet representa a mudan√ßa que n√≥s queremos ver na ind√ļstria cinematogr√°fica. Ele √© sens√≠vel, honesto, pensativo, calmo, engra√ßado e auto consciente. Ele est√° conectado com seu lado feminino, e ele sorri, muito.

Amado por garotas e garotos pelos seus looks bonitos, ele √© um jovem moderno que rouba cora√ß√Ķes, o tipo que n√£o temos visto em filmes h√° anos. Existindo na mesma linhagem de James Dean, River Phoenix e Leonardo DiCaprio, o nova iorquino de 22 anos foi apressado rumo √†s premi√®res, stalkeado online, perseguido por colunistas de fofoca e por paparazzis. A internet est√° obcecada por ele. Existem hashtags dedicadas a documentar todos seus movimentos, desde #timotheechalametdoingthings – ‚Äú#timotheechalametfazendocoisas‚ÄĚ at√© #timotheechalamenthair – ‚Äú#timotheechalamentcabelo‚ÄĚ. No in√≠cio deste ano, a conta no Instagram @chalametinart viralizou por ter feito uma montagem no Photoshop, na qual Timoth√©e est√° dentro de obras de artes famosas, incluindo o Davi de Michelangelo e o quadro ‚ÄėO Nascimento de Venus‚Äô de Botticelli, com a legenda ‚Äúprova de que ele √© realmente uma obra de arte.‚ÄĚ

S√©rio sobre atuar, mas brincalh√£o sobre seu pr√≥prio papel nisso, fora das telas, Timoth√©e √© t√£o fanboy quanto o resto de n√≥s. Ele gosta de Cardi B, Kid Cudi e Frank Ocean, tanto quando n√≥s ficamos loucos sobre seus v√≠deos de rap no ensino m√©dio, em LaGuardia, que n√≥s assistimos mais de um milh√£o de vezes no YouTube. Na premi√®re de ‚ÄúBeautiful Boy‚ÄĚ em Londres, em outubro, Timoth√©e usou um terno com estampa floral criado por Sarah Burton, da grife Alexander McQueen. Foi um look mais que semelhante a um certo Harry Styles, e isso levou a internet √† loucura.

N√£o √© a primeira vez que compara√ß√Ķes s√£o feitas entre o ator e o popstar. Timoth√©e e Harry s√£o a futura amizade que a internet sonhou. Existem contas no Tumblr, montagens em v√≠deo, memes e fanfics dedicadas a eles. Quando eles come√ßaram a seguir um ao outro no Instagram no come√ßo desse ano, um milh√£o de adolescentes ao redor do globo soltaram suspiros. Juntos eles representam uma nova masculinidade, uma que √© sens√≠vel, pensativa, criativa e sem medo de ser quem s√£o. Surpreendentemente eles nunca se conheceram devidamente.

√Č esse conforto em ser vulner√°vel que lan√ßou Timoth√©e como um dos mais vitais e procurados atores da sua gera√ß√£o. Ano que vem, n√≥s o veremos flexionando seus m√ļsculos como Henry V, em The King, da Netlfix, antes de trabalhar novamente com Greta Gerwig em sua adapta√ß√£o de Little Women, e com Denis Villeneuve, no seu remake da vision√°ria fic√ß√£o cient√≠fica, Dune. Existem at√© rumores sobre uma sequ√™ncia de ‚ÄėCall Me By Your Name‚Äô. Mas antes, ele tem uma liga√ß√£o muito importante para receber…

Harry Styles: Sr. Chalamet…

Timothée Chalamet: Sr. Styles… é um prazer conhecê-lo pelo telefone. Obrigado por fazer isso.

H: Obrigado por perguntar. Eu assisti ‚ÄúBeautiful Boy‚ÄĚ essa manh√£ e √© √≥timo.

T: Obrigado por tirar um tempo para assistir, isso significa muito.

H: Minha primeira pergunta: David Bowie uma vez disse que, ‚ÄėCriatividade √© como entrar no oceano. Voc√™ vai chegar a um ponto em que n√£o consegue mais tocar o fundo. Voc√™ est√° um pouco assustado e √© a√≠ que voc√™ faz seu melhor trabalho‚Äô, voc√™ concorda?

T: Eu concordo. Isso me lembra de uma frase: ‚ÄėSe algu√©m diz a um artista que ele √© corajoso, eles est√£o na verdade dizendo que ele √© louco.‚Äô Eu acho que independentemente de qual osso se eletrifica quando eu estou atuando, sempre tenho um sentimento de que eu estou um pouco fora de controle.

H: Eu acho que se voc√™ ficar na zona de conforto todo o tempo, √© muito f√°cil de ficar entediado. √Č importante largar tudo e come√ßar de novo algumas vezes.

T: E ser mal e arriscar. Eu sei por conta do meu trabalho em filmes que se uma cena dá errado, e tem risadas no set, isso te solta mais para a próxima cena, é melhor que se proteger de si mesmo e que se perder na sua própria mente. A melhor professora pra mim tem sido a experiência.

H: Seu personagem em ‚ÄúBeautiful Boy‚ÄĚ √© um papel bem intenso. Voc√™ √© algu√©m que fica no personagem quando a c√Ęmera corta, ou voc√™ √© capaz de entrar e sair do personagem?

T: Meu papel em ‚ÄėBeautiful Boy‚Äô ficou comigo mais do que eu pensei que ficaria. Eu pensei que uma das armadilhas desse papel, especialmente como um ator jovem nervoso, seria ser entrar na seriedade disso. Eu n√£o queria tentar e ser o mais duro comigo poss√≠vel, pensando que isso seria o que faria o papel ser bom. Ap√≥s o √ļltimo dia de filmagens, eu voltei de forma estranha pra casa. Eu nem vivi isso, Nic e David viveram, mas eu ainda me sentia afetado, exausto e um pouco devastado. O filme n√£o √© algo ruim, porque √© esperan√ßoso e redentor, mas eu sentia como se tivesse levado um soco no est√īmago.

H: Todos nós sabemos que vício é uma doença que afeta muitas pessoas, então porque você acha que ainda é tão cercada de sigilo e cheia de vergonha?

T: Eu n√£o sou especialista nesse assunto, mas acho que √© porque √© mais f√°cil ver desse jeito. √Č confortante para as pessoas ver o v√≠cio como algo que n√£o poderia lhe afetar, sua fam√≠lia ou pessoas que voc√™ ama. Quando na realidade, como voc√™ disse, √© uma doen√ßa que n√£o discrimina. N√£o v√™ ra√ßa, nem classe ou g√™nero. √Č uma doen√ßa muito humana que afeta muitas pessoas de nossa idade. Uma das coisas que eu gosto em ‚ÄúBeautiful Boy‚ÄĚ √© que n√£o mostra o porqu√™ de Nic ter se tornado um viciado. Eu acho que √© mais f√°cil para as pessoas pensarem que √© uma escolha, que quando as pessoas est√£o viciadas elas est√£o numa grande festa com muita euforia, quando, na verdade, existe um grande buraco negro, ou como Nic diria, um lugar de dor.

H: Quando assistiu pela primeira vez ao filme completo, algo sobre o resultado final fez com que você ficasse surpreso?

T: Eu fiquei mais apavorado em assistir esse filme do que qualquer coisa que eu já vi antes porque era baseado em pessoas reais. Eu realmente senti pressão, e ver pela primeira vez não foi a experiência mais confortável.

H: Sempre que fiz coisas em filmes ou videoclipes, eu frequentemente coloco mensagens secretas para amigos; tipo, eu coloco o nome de alguém em alguma coisa ou uso um colar feito por filhos de amigos ou algo do tipo. Você já colocou mensagens secretas para as pessoas em seus filmes?

T: Eu sou um ator muito t√°til, e se eu come√ßar a colocar na cabe√ßa que sou p√©ssimo, ent√£o come√ßo a procurar por coisas e por pequenas lembran√ßas que tenho. Certamente em um filme como ‚ÄúCall Me By Your Name‚ÄĚ, quando est√°vamos filmando em uma casa, havia muitos cantos e recantos onde eu me sentia mais seguro. Eu tenho pequenas coisas para mim em cada papel e pequenas coisas que tento levar comigo depois de embrulhar.

H: Quando voc√™ estava lendo o roteiro de ‚ÄúCall Me By Your Name‚ÄĚ, qual foi a cena que te fez pensar que voc√™ tinha que fazer isso?

T: Deve ser a cena em que Elio revela seus sentimentos por Oliver no monumento da guerra. O livro √© t√£o genu√≠no, t√£o realizado e bem escrito que eu senti que aquela cena seria um bar√īmetro para saber se n√≥s conseguir√≠amos ou n√£o. No dia, Luca Guadagnino n√£o sabia exatamente como ele queria filmar, e na verdade era Armie Hammer que teve a ideia de fazer isso de uma s√≥ vez e de um tiro largo. Isso tirou todo o sentimento de Hollywood. Se voc√™ silenciar o filme, voc√™ n√£o pode dizer que algu√©m est√° dizendo a algu√©m que est√° apaixonado por ele.

H: Que √© uma maneira muito mais real da forma que isso aconteceria…

T: Eu acho que sim… você pode assustar alguém se você for muito escandaloso.

H: Há rumores de uma sequência, você está nervoso sobre continuar uma história que tantas pessoas amaram?

T: Fizemos o primeiro filme na humilde esperança de que os fãs dos livros fossem vê-lo. Eu adoraria fazer uma continuação, esse desafio é realmente emocionante para mim.

H: Você ainda consegue comer pêssego?

T: [Ri] Ummm eu consigo, mas n√£o sem pensar naquilo…

H: Eu tive dificuldades…

T: [Ri novamente] √Č a cena mais estranha para se ver com os seus pais. Coitado do meu pai‚Ķ

H: Tenho certeza que ele também fez. Você é próximo da sua família, certo?

T: Sim, eu sou. Você também é?

H: Sim, √†s vezes meus pais saem em turn√™ comigo e √© sempre legal t√™-los por perto. Os √ļltimos dois anos foram loucos para voc√™. Que papel seus pais desempenharam ao manter algum senso de normalidade ao seu redor?

T: Eu acho que a coisa mais preciosa que eu recebo dos meus pais – e eu tento retribuir a eles o m√°ximo que posso – √© o amor e apoio deles. Espero que isso n√£o pare√ßa brega, mas √© verdade. No final da adolesc√™ncia, aos vinte e poucos anos, de repente voc√™ percebe que seus pais s√£o humanos. Isso n√£o significa que eu n√£o recebo √≥timos conselhos deles, porque eu recebo. Mas voc√™ atinge uma certa idade e assume o controle de sua pr√≥pria vida. Minha m√£e recentemente colocou essa foto dela e do meu pai na estreia de “Beautiful Boy” em LA, e o cora√ß√£o deles se quebrou no sentido bom, eles est√£o apenas radiantes de orgulho. √Č quase irresist√≠vel.

H: Voc√™ consegue tirar um momento para si mesmo, digerir tudo e perceber o qu√£o incr√≠vel isso √©? Eu mantenho um di√°rio, porque acho que isso ajuda a compor m√ļsicas. Mesmo que seja pequenos acontecimentos que me fazem parar e acompanhar o que est√° acontecendo.

T: Sim, eu mantenho um di√°rio e anoto os meus pensamentos no app de notas do meu celular tamb√©m. Gratid√£o e apreciar onde voc√™ est√° √© muito importante para mim, mas isso veio com o tempo. Ter tempo suficiente para escrever em um di√°rio ou simplesmente ser grato. Eu tenho cerca de um ano e meio de trabalho se completando agora, estou fazendo “Little Women and Dune”… e espero ter tempo para apreciar tudo isso. O que me conforta √© que quando acordo, dentro dos limites saud√°veis, eu sempre tenho um sentimento sutil de gratid√£o. √Č realmente incr√≠vel ouvir que algu√©m como voc√™, que est√° fazendo isso por um bom tempo, tem essa objetividade e capacidade de dar um passo atr√°s e escrever em um di√°rio. Tirar um tempo para refletir sobre voc√™ √© importante.

H: Em grande parte do tempo, quando voc√™ faz algo que d√° certo, seus pensamentos imediatamente se formam em ‚Äėo que vem em seguida?‚Äô. Tudo acontece t√£o r√°pido que voc√™ n√£o tem a oportunidade de parar e pensar ‚Äėput* merd*, isso foi incr√≠vel‚Äô. Eu acabei de terminar minha turn√™ e √© muito bom dar um passo pra tr√°s e pensar que isso n√£o √© a vida real, √© apenas um trabalho incr√≠vel que eu fa√ßo.

T: Esses momentos s√£o espont√Ęneos? Ou voc√™ tenta tirar um tempo para fazer isso?

H: Eu percebo que eles apenas acontecem quando acontecem. Acontece muito comigo quando estou dirigindo. Eu escuto alguma coisa e a√≠ volto para quando tinha 12 anos ou algo do tipo e penso ‚Äėcaralh*, se eu com 12 anos pudesse me ver agora‚Äô. Eu acho que √© muito importante ter esses momentos porque se n√£o tiver, h√° uma expectativa que a vida deve ser √≥tima assim e eu acho isso muito perigoso.

T: Isso me apavora e ainda n√£o tenho certeza de qual a melhor maneira de lidar com isso. √Č por isso que sou grato por ter crescido em Nova York. Passo o maior tempo poss√≠vel em Nova York. Frequentemente me fico obcecado pelo Kid Cudi, porque ele √© de Cleveland, e tenho dez vezes mais respeito pela ideia de vir de algum lugar que n√£o seja L.A. ou Nova York, ou qualquer um desses centros da ind√ļstria, e lan√ßar sua carreira, porque parece uma montanha incr√≠vel para escalar.

H: Às vezes nos programas de TV você pode parecer muito nervoso, mas na tela você é um ator extremamente confiante. Você acha mais fácil interpretar alguém do que ser você mesmo?

T: Essa √© uma √≥tima pergunta. Eu acho que o veneno na publicidade dos jovens na m√≠dia, em ambientes sociais ou na vida em geral, √© autom√°tico, e eu acho que isso me deixa nervoso em talk shows. Eu sou novo em tudo isso, ent√£o me coloco no lugar do p√ļblico e os imagino vendo esse jovem irreconhec√≠vel tentando falar s√©rio sobre filmes e pestanejando.

H: Você se sente pressionado a ser político hoje em dia?

T: Eu n√£o sei se √© uma press√£o, mas sinto que √© uma responsabilidade. Eu estava falando sobre isso com Steve Carell, sobre como havia uma complac√™ncia geral nas gera√ß√Ķes anteriores de que tudo estava indo muito bem e isso aumentou muito as apostas. As pessoas da nossa idade s√£o muito mais engajadas e eu acho que isso √© bom.

H: Estamos vivendo em uma √©poca onde √© imposs√≠vel n√£o saber o que est√° acontecendo no mundo. A sociedade nunca esteve t√£o dividida. √Č importante lutar pelo que acreditamos ser certo. Eu adoraria que as minhas vis√Ķes transparecessem na m√ļsica e nas coisas que fa√ßo. √Č uma maneira muito poderosa de usarmos nossas vozes. Eu acho que por um bom tempo as pessoas pensaram ‚Äėo que eu fa√ßo n√£o importa‚Äô, mas a revolu√ß√£o acontece atrav√©s de pequenos atos, e agora as pessoas est√£o entendendo que √© isso que faz mudan√ßas reais.

T: Estamos vivendo tempos realmente inspiradores, porque muitas dessas vozes – pessoas como Emma Gonzalez, por exemplo – s√£o muito jovens. S√£o pessoas da nossa idade que ter√£o que lidar com tudo isso e que est√£o lidando com isso agora. Foi interessante estar no Globo de Ouro e no Oscar no ano passado, – porque havia essa enorme tens√£o na auto-celebra√ß√£o, que √© o que as cerim√īnias de premia√ß√£o s√£o – quando tantas pessoas est√£o sofrendo, e muitas pessoas t√™m queixas. N√£o apenas queixas mesquinhas, mas sim, queixas justas.

H: Hoje em dia existem muito mais maneiras de nos envolvermos. Eu acho que isso √© o principal ponto positivo das redes sociais, mas tamb√©m tem muito que acho super perigoso sobre elas. Eu estou interessado em saber o que voc√™ acha? Os pontos bons e ruins…

T: No final dos anos 2000, quando a Primavera √Ārabe aconteceu no Egito, houve um otimismo real em torno da internet e das possibilidades das m√≠dias sociais. Mas nos √ļltimos tr√™s ou quatro anos, quase tem ocorrido uma segunda onda de m√≠dia social em que as pessoas s√≥ ouvem o que querem ouvir e s√≥ gritam em seu eco. Meu antigo colega de quarto me disse que lera entrevistas com os criadores da internet, onde dizem que s√£o assombrados pelo que se tornou e desprezam a negatividade e a desinforma√ß√£o que podem imbuir. Em um micro n√≠vel e na minha experi√™ncia, a rede social √© realmente dif√≠cil de navegar porque a √ļltima coisa que eu quero fazer como artista √© criar em um v√°cuo. Mas se voc√™ ler os coment√°rios, estar√° se abrindo a um verdadeiro dano pessoal. Eu tenho inveja de uma √©poca em que as pessoas realmente vendavam os olhos e n√£o havia a fuga de uma tela. √Č a caricatura de algu√©m em uma festa jogando Tetris.

H: Pessoalmente, eu percebo uma mudança notável no quanto estou feliz quando não estou nas redes sociais. Alguém uma vez descreveu pra mim que é como uma festa, onde têm três pessoas que são ótimas e 23 que não são tão legais. Você apenas não iria nessa festa, iria? Isso meio que sumariza meus sentimentos sobre as redes sociais. Eu entro. Vejo os amigos que quero e saio.

T: Isso foi intuitivo para você?

H: √Č algo que aprendi com o tempo. Especialmente no in√≠cio, porque quando voc√™ come√ßa, voc√™ √© encorajado a dar o m√°ximo que puder. Mas isso retorna ao ato de separar seu trabalho do resto da sua vida. Entender que tem coisas que voc√™ precisa manter pra si mesmo e coisas que n√£o precisa dividir com ningu√©m. Isso mant√©m tudo um pouco melhor.

T: √Č sobre ter autoconsci√™ncia do que voc√™ demonstra e n√£o demonstra digitalmente.

H: Exatamente. Estou totalmente ciente que se voc√™ entrar nas redes sociais, e procurar, voc√™ encontra o que quer que voc√™ esteja procurando. Se voc√™ estiver procurando por coment√°rios ruins, ir√° encontrar coment√°rios ruins. Mas as pessoas fazem mesmo assim. √Č como se fosse um tipo estranho de auto-tortura.

T: √Č masoquista.

H: Eu fazia isso quando comecei. Agora não faço mais, e sinto uma mudança notável no quão feliz estou, o que é legal. Mas eu não estou atacando as redes sociais. Eu acho que elas também trazem coisas boas e é importante notar e crescer com isso.

T: No fim das contas, n√£o tem como voltar atr√°s. √Č como √©. Como foi trabalhar em Dunkirk? Eu tive um papel pequeno em Interestelar e fiquei honrado em trabalhar com o Cristopher Nolan. Ele √© meu cineasta favorito.

H: Eu sempre fui um grande f√£ do Christopher Nolan tamb√©m… quando ele estava sentado no fundo da sala enquanto fazia minha audi√ß√£o, me senti muito sortudo de estar l√°. Dunkirk foi estranho porque foi meu primeiro filme, ent√£o eu n√£o tinha ao que comparar.

T: Parecia uma paisagem t√£o √°rida. N√£o parecia f√°cil de jeito nenhum.

H: N√£o, n√£o foi. Quando me disseram que eu faria um filme na praia, eu pensava que seria muito diferente! Eu definitivamente gostei de interpretar outra pessoa. Eu amei estar t√£o longe da minha zona de conforto. Amei estar no set e ser o cara que n√£o fazia ideia do que est√° fazendo. Realmente gostei muito.

T: Cara, eu realmente espero que você atue em mais alguma coisa. Porque eu não sei significa algo vindo de mim, mas achei você excelente pra caralh* naquele filme.

H: Muito obrigado.

T: Aquele filme √© muito incr√≠vel. Assistindo ele, eu ficava pensando ‚ÄúCara, espero que o Harry n√£o pense que todos os set de filmagens s√£o navios da 2¬™ Guerra Mundial!‚ÄĚ

H: Todo mundo me disse que o que quer que eu fa√ßa em seguida vai ser um passeio no parque se comparado a Dunkirk, mas eu curti muito. Pensando em onde o mundo est√° hoje, voc√™ sente uma responsabilidade como ator de representar uma nova forma de masculinidade nas telas? O conceito de masculinidade mudou muito desde a nossa inf√Ęncia…

T: Sabe o que √© realmente engra√ßado? Eu ia te perguntar uma vers√£o dessa pergunta, mas eu estava preocupado em me dar¬†muito cr√©dito ao pensar que eu poderia fazer uma mudan√ßa como essa. Mas, se voc√™ est√° me dando essa licen√ßa, ent√£o eu diria absolutamente. √Č uma das raz√Ķes pelas quais estou muito feliz em falar ao telefone com voc√™, porque enquanto cresc√≠amos, t√≠nhamos algumas pessoas para nos inspirar, mas n√£o era t√£o √≥bvio. Pessoas como Lil B – eu espero que as pessoas me achem rid√≠culo lendo isso – foi realmente impactante para mim, porque ele realmente deixou essas linhas obscuras como m√ļsico. Eu ficaria muito feliz em saber que os pap√©is que estou interpretando est√£o instigando mudan√ßas de alguma forma. Como eu coloco isso numa frase? Eu acho que h√° algo a ser escrito sobre isso por algu√©m mais esperto do que eu… Eu quero dizer que voc√™ pode ser o que voc√™ quiser ser. N√£o existe uma no√ß√£o espec√≠fica, tamanho de jeans, ou de m√ļsculo, ou afeta√ß√£o, ou aumento de sobrancelhas, ou dissolu√ß√£o, ou uso de drogas dos quais voc√™ precise fazer para ser masculino. √Č animador. √Č um valente mundo novo. Talvez seja por causa das redes sociais, talvez seja por causa de sabe diabos o que, mas h√° uma verdadeira excita√ß√£o da nossa gera√ß√£o em fazer as coisas de uma maneira nova. Eu ficaria realmente curioso para ver o que voc√™ tem a dizer sobre isso?

H: Eu n√£o cresci em um mundo de homens mach√Ķes. Cresci com a minha m√£e e minha irm√£. Mas eu definitivamente acho que nos √ļltimos dois anos, fiquei muito mais contente com quem eu sou. Eu acho que tem muita masculinidade em ser vulner√°vel e me permitir ser feminino, e me sinto muito confort√°vel com isso. Quando est√° crescendo voc√™ nem sabe o que essas coisas significam. Voc√™ tem essa ideia do que √© ser masculino e enquanto voc√™ cresce e experi√™ncia mais do mundo, voc√™ se torna mais confort√°vel com quem voc√™ √©. Hoje √© mais f√°cil abra√ßar a masculinidade em v√°rias coisas diferentes. Eu realmente acho ‚Äď atrav√©s da m√ļsica, composi√ß√£o, falando com amigos e sendo aberto ‚Äď que algumas das vezes em que me sinto mais confiante √© quando estou me permitindo ser vulner√°vel. √Č algo que eu realmente tento e fa√ßo.

T: Isso √© muito bonito e inspirador, e certamente diz respeito a se sentir confort√°vel no caos e conseguir criar na loucura. Estar vulner√°vel √© quase como estar em outra atmosfera. Eu realmente entendo isso. Eu acho que isso pode ser alcan√ßado atrav√©s da arte, mas tamb√©m na intimidade. √Č a sensa√ß√£o mais louca conseguir essa vulnerabilidade. Se n√≥s, tendo essa conversa, de alguma forma infinitesimal, pudermos ajudar algu√©m, um homem, uma garota, a perceber que ser vulner√°vel n√£o √© uma fraqueza, n√£o √© uma barreira social. Isso n√£o significa que voc√™ √© louco ou hiper emocional, voc√™ √© apenas humano, o que eu acho que √© algo que sua m√ļsica passa [√†s pessoas], e espero que meus filmes tamb√©m. Humanos s√£o complexos. Precisamos sentir muitas coisas. N√≥s n√£o somos homog√™neos.

H: N√£o √© uma linha reta com certeza … Algumas coisas para voc√™ … Os √ļltimos dois anos foram loucos. O que voc√™ est√° achando? Voc√™ est√° se divertindo?

T: Cara, sinto muita gratid√£o. Eu digo muito isso para o meu pai e ele tira sarro de mim porque eu n√£o costumava falar assim, mas eu vejo as pessoas da nossa idade e como elas est√£o revigoradas para o mundo e isso me inspira. Tr√™s anos atr√°s, eu estava nervoso porque as pessoas falavam sobre como as redes sociais estavam afetando a aten√ß√£o e ningu√©m mais conseguia se sentar, tornando a arte e o cinema rel√≠quias. Mas eu realmente sinto que essas coisas s√£o urgentes. E por qualquer que seja a raz√£o, agora tenho a habilidade de escolher o que trazer √† vida. Neste momento, estou trabalhando em “Little Women” em Boston, com Greta Gerwig, Saoirse Ronan e Emma Watson, e eu apenas me belisco para que eu possa acreditar que consegui ser essa mosca na parede nessa narrativa lend√°ria. Voc√™ conseguiu uma folga nos primeiros anos? Ou foi bem intenso?

H: Foram muito intensos. S√≥ nos √ļltimos dois anos que realmente tive a chance de parar e refletir. Eu definitivamente fico muito agradecido de ter tido um momento para processar tudo. Agora estou animado para o que vier em seguida. Voc√™ est√° animado para o futuro? E eu digo o seu futuro, n√£o o futuro da humanidade ou qualquer coisa do tipo.

T: Sim, desculpe cara, eu só estou tentando pensar grande!

H: Voc√™ pode escolher seus filmes agora, o que √© incr√≠vel. Quando voc√™ est√° come√ßando, voc√™ passa tanto tempo querendo que as pessoas assistam seus filmes ou escutem sua m√ļsica e, quando elas finalmente o fazem, voc√™ sempre pensa “o que vem agora?”. Com o que voc√™ se preocupa agora?

T: Fazer as escolhas certas. Eu acho que h√° uma ansiedade em n√≥s que se correlaciona com a nossa idade. Eu quero poder ter uma conversa com voc√™ daqui a 15 anos. Para mim, sempre foi sobre tentar trabalhar com grandes diretores. Estou trabalhando com Greta Gerwig agora. Depois vou fazer algo com um dos meus diretores favoritos de todos os tempos, um diretor de casa de arte americano realmente amado. Depois eu vou fazer o Dune, dirigido por Denis Villeneuve. Eu sempre sonhei em estar em um grande filme como “Dunkirk”, “Dark Knight” ou “Inception”. Ent√£o essa √© a verdade, Harry. Tamb√©m h√° medo, como sempre houve, mas fico feliz que o medo gira em torno de filmes e escolhas, e se posso ou n√£o pagar meu aluguel. Eu tenho muita gratid√£o por isso. Espero que tenhamos a chance de estar juntos em um filme.¬†¬†Voc√™ sabe em que ir√° trabalhar agora?

H: Estou fazendo meu segundo √°lbum agora, ent√£o vou fazer isso, ler bastante e ver o que acontece. Quando consegui o papel em “Dunkirk”, aconteceu logo no in√≠cio do meu primeiro √°lbum, ent√£o tive que parar tudo por cinco meses. Mas essas coisa sempre acontecem quando tem que acontecer, ent√£o n√£o sei, cara. Estou curtindo n√£o saber para ser honesto.

T: Estou concluindo que √© assim que acontece com muitos m√ļsicos que conheci. Eles est√£o em um cronograma bem menor que os atores, que literalmente precisam aparecer em um determinado momento. Eu n√£o sei cara; deve ser como se fosse 3 da manh√£ onde quer que voc√™ esteja agora. M√ļsicos operam a seu modo.

H: Quando eu estava na banda, sempre sabia com anteced√™ncia o que faria nos pr√≥ximos dois anos. Agora, estou fazendo os √°lbuns sozinho, e √© muito animador porque sei que isso √© tudo que farei at√© que termine. √Č uma nova maneira de trabalhar.

T: Eu imagino que o processo criativo de trabalhar em um álbum individual seja bem diferente de quando você era mais novo e fazia em conjunto com outras pessoas.

H: Sim, quando comecei eu realmente n√£o sabia o que estava fazendo. Ent√£o tentei escrever o m√°ximo que podia, com o maior n√ļmero de pessoas diferentes poss√≠vel, e aprender o m√°ximo que pudesse. Eu garanto que escrevi muita, muita merda antes de escrever algo bom‚Ķ Mais algumas coisas para voc√™‚Ķ Se te dissessem que voc√™ poderia apenas escutar uma m√ļsica, ver um filme, ler um livro e falar com uma pessoa pelo resto da sua vida, quais escolheria?

T: Ok, uma m√ļsica, um filme, um livro, uma pessoa‚Ķ precisei escrever tudo. Escrevi nas minhas notas. Essa √© uma boa pergunta. Uma m√ļsica seria “Rain”, do Kid Cudi. Um filme seria “Embriagado de Amor”. Um livro‚Ķ “Livro do Desassossego”. √Č o que estou lendo agora. E uma pessoa‚Ķ vou manter essa misteriosa. Vou manter para mim mesmo, mas tenho uma resposta clara na minha cabe√ßa. E voc√™? Posso te perguntar o mesmo tamb√©m? √Č justo?

H: Claro. Fique √† vontade. Minha m√ļsica seria “Madame George”, de Van Morrison. Meu filme seria ‚ÄúGoodfellas‚ÄĚ (Os Bons Companheiros). Meu livro seria‚Ķ tenho dois. Seria “Norwegian Wood”, de Haruki Murakami, ou “Love Is A Mixtape”, do Rob Sheffield, que eu sugiro que voc√™ leia caso ainda n√£o tenha lido. √Č muito realmente bonito.

T: E quem é sua pessoa?

H: Minha pessoa… farei o mesmo que você, vou guardar para mim mesmo.

T: Certo, justo, justo!

H: Acho que é uma troca justa.

T: Sim, sim. Ah, cara.

H: Certo. Algumas perguntas r√°pidas e ent√£o eu tenho uma √ļltima pergunta para voc√™.

T: Ok…

H: Tudo bem. Qual √© a sua m√ļsica de karaok√™?¬†

T: Heart Shaped Box, mas eu sou muito desconfiado para cantá-la na frente de pessoas que eu não conheço.

H: Certo. Nova Iorque ou LA?

T: Nova York. Nova York. Facilmente. Quando eu chego (em N.Y.) eu beijo o asfalto, baby.

H: Futebol ou basquete?

T: Oh, cara … eu declaro um empate.

H: Programa de TV favorito?

T: The Office.

H: Kobe ou LeBron? Agora chegamos √† parte dif√≠cil…

T: Erm, erm… Veja, LeBron é o atleta da minha geração. Kobe vence no talento. Eu amava LeBron quando ele foi para Miami. Eu o amei novamente quando ele foi para Cleveland. Agora sou como um fanboy que está tentando comprar uma camisa do Lakers.

H: Uhum. Certo. O que você veste na cama?

T: Nada.

H: Jay-Z ou Beyonce?

T: Oh, cara, impossível de escolher porque ambos são muito incríveis. JayBay!

H: Última mensagem que você enviou?

T: Eu vou te dizer agora … [olha para o telefone] Eu tenho que responder algumas pessoas. A √ļltima mensagem que recebi foi do meu pai falando sobre “Beautiful Boy”, ele diz que teve uma boa abertura, ent√£o ele mandou um link para o “Box Office Report” de “Venom”. Ele nunca veria “Venom”, ent√£o eu n√£o sei porque ele me mandou isso.

H: “Prazer proibido”?

T: Rick e Morty, talvez? Mas isso n√£o √© “proibido” . Muitas pessoas adoram isso.

H: Você já viu Big Mouth?

T: Não, não assisti. Tenho que começar?

H: Sim, tem no Netflix. V√° assistir Big Mouth.

T: Ok.

H: Cardi B ou Nicki Minaj?

T: Oh meu Deus … Olha, Nicki foi √† minha escola, mas … Cardi √© uma lenda, ent√£o por que todos n√≥s n√£o podemos apenas amar uns aos outros. Eu gostaria que elas nunca tivessem entrado nessa briga. Isso foi t√£o surreal. Olha, Nicki √© uma lenda, Cardi est√° arrasando. E voc√™?

H: estou fazendo as perguntas.

T: justo, justo.

H: Qual é seu lugar feliz?

T: √Č um lugar feliz incr√≠vel, √© um dia de ver√£o em Nova York.

H: Legal. Eu tenho uma √ļltima pergunta para voc√™ antes de terminarmos. Qual o significado da vida?

T: Hum… Ah… Que todos nós estamos aqui por tanto tempo. Viva e deixe viver. Ame profundamente. Ame abertamente. E saiba que o sábio sabe que é ignorante, mas cultiva mais compreensão.

H: Muito legal, muito legal. Foi um prazer. Obrigado, cara.

T: Cara, que prazer, muito obrigado por fazer isso!

 

Fonte: i-D Magazine.

Deixe um coment√°rio

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Voc√™ est√° comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Voc√™ est√° comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Voc√™ est√° comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Voc√™ est√° comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s